Webinar gratuito no YouTube explica como funciona o Bombeamento de Água por Energia Solar

Equipamento capaz de garantir o abastecimento de água em locais isolados — como algumas propriedades rurais — ou sem acesso à rede elétrica, as bombas de água movidas por energia solar têm gerado interesse cada vez maior no mercado brasileiro. Para explicar o funcionamento dessa tecnologia, a NeoSolar, líder no setor solar, promove no próximo dia 18 de maio (quarta-feira), às 15h (horário de Brasília), o Webinar 100% gratuito Bombeamento de Água por Energia Solar.

O evento será transmitido no YouTube, por link disponibilizado para quem realizar a inscrição pelo site.

Curso NeoSolar Bombeamento Solar
Para explicar o funcionamento das Bombas Solares, a NeoSolar promove Webinar 100% gratuito Bombeamento de Água por Energia Solar (Crédito da Imagem: NeoSolar)

A apresentação será realizada por Paulo Frugis, engenheiro com mais de 30 anos no setor elétrico nacional que também é o professor do Curso Online de Bombeamento da NeoSolar, um programa completo sobre o assunto que será lançado durante o webinar.

“Preparei uma apresentação de cerca de quarenta minutos, na qual começarei trazendo conceitos básicos sobre bombeamento solar a quem ainda não é familiarizado com o assunto. Na sequência, darei algumas dicas para quem já trabalha com bombeamento e quer entender melhor os equipamentos – explicarei tudo sobre aplicações e a instalação, que geralmente é simples. E, por fim, ficarei disponível para tirar todas as dúvidas de quem participar do webinar pelo chat”, comenta Paulo Frugis.

Saiba Mais:

Ao final da aula aberta, Frugis explicará melhor o programa do Curso Online de Bombeamento Solar, que será disponibilizado 100% online e com desconto para quem assistir ao webinar. “A ideia é que o webinar já dê um bom embasamento sobre o assunto. Para quem quiser se especializar mais, recomendarei o curso, que tem uma grade de aproximadamente12 horas, com 07 módulos e conta com diversos materiais extras, além do conteúdo ficar disponível por 45 dias para estudo a qualquer hora, e de disponibilizarmos diversos canais para que os alunos tirem dúvidas comigo e com a equipe”, acrescenta o professor. 

Bombeamento Solar

As maneiras de se utilizar energia solar são extremamente amplas — e nem sempre se comenta sobre uma de suas aplicações mais importantes: o bombeamento de água. É graças aos sistemas movidos à energia do sol que propriedades rurais de todos os cantos do Brasil possuem abastecimento de água ao longo de todo o ano (não apenas para cultivo agrícola e alimentação de gado, mas inclusive para consumo humano de água limpa). E é com bombas solares também, que comunidades isoladas, distante dos centros urbanos do país podem contar com água potável.

Os sistemas de bombeamento solar podem estar conectados à rede elétrica (como em sistemas híbridos que permitem o uso de energia para backup), mas é muito comum que essas aplicações sejam Off Grid (autossuficientes, que geram energia solar de forma independente, mesmo distante das redes de distribuição das concessionárias). Afinal, nesses lugares é muito mais barato instalar um sistema de bombeamento solar do que fazer com que uma rede da concessionária de energia chegue até ali.

Bomba Solar Submersa Funcionamento
Bombeamento de Água no Sistema Off Grid (Crédito da Imagem: NeoSolar)

Uma grande vantagem dos sistemas de bombeamento de água é que eles podem ser instalados de modo simples, com painéis solares ligados diretamente na bomba, utilizando qualquer fonte de água, como uma represa, açude ou nascente. Após a instalação, propriedades rurais podem contar com água limpa e constante mesmo em períodos de seca ou estiagem. Em comunidades isoladas, longe dos centros urbanos, mesmo ribeirinhas, podem utilizar o bombeamento solar para tratamento, e assim, terem acesso à água limpa e impedir a proliferação de diversas doenças.

5 motivos para usar Microinversor no seu projeto de Energia Solar

É cada vez mais vantajosa a instalação de sistemas residenciais de energia solar — e um equipamento específico começa a ser cada vez mais procurado, por possibilitar grandes ganhos de eficiência energética: o Microinversor.

Listaremos aqui 5 grandes vantagens do Microinversor em projetos de Energia Solar:

  • Durabilidade e Garantia
  • Segurança em Sistemas Fotovoltaicos
  • Uso Otimizado dos MPPTs
  • Otimização de Sistemas de Energia Solar
  • Instalação em Painéis de Diferentes Níveis

Até o final deste ano, a procura por instalação de sistemas de geração de energia solar deve se manter aquecida, com a publicação recente do Marco Legal da Geração Distribuída. A legislação garante que o consumidor que instalar sistemas fotovoltaicos em casa até janeiro de 2023 continuará tendo isenção da Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição (Tusd) nos próximos 23 anos. Com isso, muitos brasileiros estão estudando as diferentes possibilidades de instalação em suas residências.

É preciso considerar várias questões na hora de decidir pela melhor opção de sistema fotovoltaico, como o tamanho do projeto e a quantidade de painéis e baterias necessária para suprir a necessidade. Porém, a instalação de microinversores para otimização do sistema é ideal em projetos residenciais, uma vez que traz melhor retorno de investimento no longo prazo. Nesse sentido, também entra em pauta a diferença que possuem em relação aos inversores string.

Microinversor x Inversor String

A principal função dos inversores é converter a energia produzida pelas placas solares fotovoltaicas de Corrente Contínua (CC) para Corrente Alternada (CA) — em outras palavras: transformar a energia solar de modo que ela possa ser utilizada em uma casa.

Assim, o sistema pode injetar energia elétrica apropriada na rede local e trabalhar de forma integrada, fornecendo condições para utilização dos equipamentos elétricos.

Leia também:
Confira preços de Kits com Microinversores
Saiba o que é uma Placa Solar Fotovoltaica
Conheça a utilização da Bateria de Lítio em Sistemas de Energia Solar

O microinversor gerencia placas solares de maneira individualizada, atendendo a conjuntos menores de até quatro placas, diferentemente dos inversores convencionais, que gerenciam blocos ligados em série, as strings.

A instalação de um microinversor é realizada atrás do próprio painel solar, enquanto o inversor string é colocado distante do sistema fotovoltaico. Maiores e mais pesadas, as strings normalmente contam com potências superiores às dos microinversores, o que as torna inclusive mais difíceis de serem manuseadas por uma só pessoa.

Por isso, o microinversor vem se mostrando mais adequado para projetos residenciais, por exemplo. Conheça cinco motivos para utilizar microinversores em um sistema fotovoltaico:

1 – Durabilidade e Garantia do Microinversor

A durabilidade e a garantia são diferenciais que têm feito os microinversores ganharem espaço no mercado de energia solar: esses aparelhos têm de 10 a 15 anos de garantia e de 25 a 30 anos de vida útil (similar à do painel solar). Já o inversor tradicional string possui de 5 a 7 anos de garantia, dependendo do fabricante, e sua vida útil fica entre 10 e 15 anos.

Dessa forma, a ausência da necessidade de troca do inversor na metade do tempo de uso do painel compensa o investimento no microinversor. Isso pode reduzir o custo de manutenção no longo prazo e garantir melhor aproveitamento de energia por décadas.

Microinversor Deye para Energia Solar
Exemplo de Microinversor Solar da marca Deye (Crédito da Imagem: Deye/ NeoSolar)

2 – Segurança em Sistemas Fotovoltaicos

Os microinversores também tendem a ser mais seguros, porque gerenciam as placas de forma individualizada. Por isso, em caso de curto ou outro problema, é possível desligar o painel danificado do sistema. No caso dos inversores string, é necessária ainda a instalação da string-box, uma caixa de proteção obrigatória para a segurança, já que o sistema necessita de cabos que transportam a corrente em tensão elevada (até 1500V).

Com o microinversor, a energia já sai como Corrente Alternada próxima da própria placa solar, com níveis de tensão baixos e seguros. Além disso, ele dispensa o uso da string-box e necessita de menos proteções que os inversores tradicionais, que são aparelhos mais complexos e trabalham com tensões mais altas.

Exemplo de ligação com Microinversor em projeto de Energia Solar (crédito da imagem: NeoSolar)

3 – Uso otimizado dos MPPTs com o Microinversor Solar

A maneira como os MMPTs são utilizados é o diferencial que garante a vantagem competitiva do microinversor sobre a string. A sigla significa Maximum Power Point Tracking (Rastreamento do Ponto de Máxima Potência, em tradução livre) e representa os algoritmos dos inversores que identificam o ponto de máxima potência para o funcionamento dos painéis solares.

Essa tecnologia encontra as melhores condições na relação entre corrente e tensão, para que seja gerada energia de forma mais eficiente. Em um sistema com microinversores, o gerenciamento de MPPTs se dá de forma individualizada, enquanto os inversores string observam o conjunto das placas.

A melhor distribuição de MPPTs faz com que o microinversor gere mais energia que a string, especialmente em instalações com sombreamento, mau funcionamento ou perda de rendimento dos painéis.

Esquema mostra menor perda de energia em projeto fotovoltaico que utilizou microinversores (Crédito da Imagem: NeoSolar)

4 – Otimização de Sistemas de Energia Solar Fotovoltaica

O gerenciamento diferenciado realizado por microinversores garante que o desempenho ruim de um único painel não afete os demais, mesmo em casos de sombreamento do sistema provocado por folhas, galhos ou outros fatores que podem prejudicar o aproveitamento da radiação solar.

Esse tratamento individualizado de cada módulo solar, uma das principais características dos microinversores, facilita bastante o monitoramento e a manutenção dos sistemas. Isso beneficia a produção total do sistema.

Leia também:
Conheça o Microinversor da Deye
Bateria de Lítio Solar: do celular no seu bolso para os Sistemas Fotovoltaicos
Entenda o Preço de uma Placa Solar Fotovoltaica

5 – Instalação em Painéis de diferentes níveis

Outra questão que torna os microinversores ideais para projetos residenciais é o fato de que podem ser instalados em painéis em diferentes níveis, com inclinações e orientações variadas, o que não é possível com inversores strings.

Com as strings, as diferentes placas conectadas devem ficar direcionadas na mesma orientação para produzir a tensão idêntica ou similar. Não é possível, por exemplo, utilizar o mesmo inversor para painéis que estejam voltados a lados opostos ou em inclinação distinta — uma condição que limita muito as possibilidades na hora da instalação.

Os microinversores permitem que o desempenho dos painéis seja monitorado de forma remota, inclusive por Wi-fi, com mais facilidade e menor custo de instalação. Além disso, é possível ampliar o projeto apenas com a inclusão de mais placas e do número proporcional de novos microinversores ao sistema.

Energia Solar e Vacinas: como os Sistemas Off Grid possibilitam a imunização em áreas remotas

Em tempos de pandemia, quando se fala em vacinação, a associação imediata é com a Covid-19. Porém, existe um calendário de imunização no Brasil que possibilitou erradicar diversas doenças nas últimas décadas. Todas as vacinas brasileiras são aplicadas conforme o Plano Nacional de Imunização (PNI), em um esforço coordenado entre União, Estados e Municípios.

O maior desafio para se vacinar a população brasileira, no entanto, é chegar às áreas remotas e manter a integridade dos imunizantes, considerando que muitas regiões do país não contam com energia elétrica ou possuem instalações precárias, com constantes quedas de luz.

Nesses casos, diversos lotes de vacina correm o risco de estragar se não forem armazenados em geladeiras que mantenham os imunizantes refrigerados na temperatura ideal. Diante desse problema, uma solução de grande importância é a instalação de sistemas Off Grid de energia solar fotovoltaica, que contam com baterias e permitem manter uma geladeira ligada mesmo em um local isolado.