NeoSolar: 12 anos de pioneirismo, inovação e compromisso para desenvolver a Energia Solar no Brasil

Em junho de 2010, quando a energia solar fotovoltaica ainda era uma novidade no país, dois irmãos, vindos do interior para a capital de São Paulo e engenheiros pela USP, vislumbraram o grande potencial do setor e fundaram a NeoSolar – uma empresa que nasceu pioneira e manteve o espírito inovador desde então.

Aniversário NeoSolar

Ao longo de 12 anos, a história da NeoSolar se confunde com a história da energia solar no Brasil.

A empresa foi uma das fundadoras e faz parte do conselho da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) – entidade sem fins lucrativos que representa os interesses do setor e conta com mais de 600 associados –, além de ter sido uma das primeiras do Brasil a oferecer cursos de energia solar e capacitação para utilização de produtos, que até hoje já formaram mais de 3 mil alunos.

Em um setor dinâmico e vasto como o de energia solar, a companhia fundada pelos irmãos Raphael e Pedro Pintão sempre teve um olhar atento para inovações.

Nos sistemas On Grid, por exemplo, a NeoSolar foi responsável por trazer alguns dos primeiros microinversores para o Brasil em 2012, enquanto no Off Grid a empresa se tornou líder no mercado sempre investindo nas soluções mais modernas e eficientes disponíveis – como por exemplo as baterias de lítio, que hoje ganharam grande destaque no portfólio.

Fachada do sede da NeoSolar, em São Paulo (SP)

Pioneirismo para impulsionar o setor

A NeoSolar, no entanto, não se destaca apenas por ser um importante player, mas também por sempre trabalhar em prol do desenvolvimento de todo o setor de energia solar no país.

Logo no início da sua trajetória, em 2013, a empresa foi responsável por realizar o primeiro projeto de energia solar On Grid homologado no estado de São Paulo, em uma galeria de arte na cidade de Ribeirão Preto.

Três anos depois, em 2016, colocou seu pioneirismo à prova mais uma vez, ao incorporar ao seu negócio uma área responsável por oferecer soluções em infraestrutura de recarga para veículos elétricos.

Essa unidade de negócios se tornou uma nova empresa: a NeoCharge, que ganha cada vez mais espaço no mercado com a distribuição de equipamentos, cursos, serviços técnicos e operação compartilhada de estações de recarga e eletropostos.

Estrutura de negócios e valores bem definidos

Atualmente, a NeoSolar possui seis unidades de negócio:

  • Off Grid, que faz da empresa a maior distribuidora de equipamentos do Brasil, com o mais completo portfólio e equipe técnica altamente qualificada;
  • On Grid, onde se destacam os kits com microinversores e diversos equipamentos voltados aos sistemas de energia solar integrados com a rede elétrica;
  • Bombeamento Solar, com as mais modernas soluções capazes de levar a água de rios, lagos ou poços para o uso de pessoas, especialmente em regiões onde o agronegócio se faz forte;
  • Projetos Especiais, responsável pelo desenvolvimento de soluções personalizadas em espaços de maior complexidade técnica, porte ou número de unidades;
  • Cursos e Treinamentos; que oferece capacitação sobre os mais diversos temas para os profissionais do setor;
  • Veículos Elétricos, que se tornou a NeoCharge, uma das principais distribuidoras de carregadores para VEs do país.
Unidades de negócio NeoSolar
Unidades de Negócio da Empresa

Mais que de áreas de atuação muito bem definidas, o sucesso da NeoSolar é resultado também de uma cultura organizacional baseada em fortes valores, que norteiam os passos de todos na companhia.

São eles:

  • “Evoluímos sempre”

Fazemos mais e melhor, no ordinário e no extraordinário, todos os dias. Elevamos o patamar, subimos a régua, damos o próximo passo.

Não queremos apenas crescer – queremos evoluir. Aprendemos sempre – com nossos erros e acertos.

  • “Colaboramos (e ponto)”

Aqui todo mundo importa e se importa.

Somos gente e gostamos de gente.
Todos contam. Todos fazem a diferença.
Aqui não existe “Isso não é o meu trabalho” – o problema de um é o problema de todos.
Para nós não existe outro jeito de trabalhar.

  • “Respeitamos de verdade”

Aqui o modo importa.
Construímos relações baseadas no respeito e na verdade, tanto dentro como fora da nossa empresa.
Nós fazemos o que dizemos e dizemos o que fazemos.
Nós nos comprometemos.
Tratamos a todos com gentileza, respeitando o potencial e a contribuição de cada um.

  • e “Conquistar é a nossa energia”

Usamos nossa energia para vencer. E vencemos juntos

Somos comprometidos com nossos objetivos e metas.
Encaramos oportunidades, problemas e obstáculos.
Não tememos os desafios

Além dos 4 valores, a empresa também tem um propósito bem definido:

  • “Chegar na frente é o que nos move”

Exploramos novos caminhos e possibilidades para desenvolver negócios promissores que impactam positivamente a vida de todos. Não queremos assistir o futuro acontecer. Aqui, construímos o nosso futuro.

Esses valores e o propósito são a essência do “Jeitão NeoSolar”, uma cultura de colaboração, respeito e pioneirismo que parte da empresa desde o começo.

Great Place to Work

O sucesso dessa cultura organizacional foi reconhecido em 2021 com o selo Great Place to Work (GPTW), um certificado conferido por uma consultoria global para apoiar organizações a obterem melhores resultados por meio de uma cultura de confiança, alto desempenho e inovação.

A NeoSolar teve o privilégio de repetir a dose e foi reconhecida novamente neste ano de 2022, quando obteve excelentes avaliações de seus colaboradores nos cinco temas abordados pela pesquisa do GPTW: respeito, credibilidade, orgulho, imparcialidade e camaradagem. A avaliação geral da empresa superou inclusive o benchmark, que considera as 150 empresas mais bem avaliadas do Brasil.

Equipe NeoSolar - Great Place to Work
Equipe NeoSolar

As conquistas do prêmio GPTW são um grande orgulho. A expectativa para o futuro é de que a companhia cresça ainda mais, sem perder seus valores, e siga contribuindo com o progresso da energia solar no país.

E tudo isso só será possível com a manutenção do compromisso, colocado em prática há exatos 12 anos, de lutar por um planeta mais sustentável e desenvolvido por meio da transição energética – acompanhando a evolução tecnológica para oferecer as soluções mais modernas, eficientes e limpas à população.

Com o crescimento da energia solar no Brasil, todos saem ganhando. E a NeoSolar e a NeoCharge se orgulham muito de ser parte importante dessa história.

Energia Solar em Casa: As Vantagens do Micro Inversor com Painel no Sistema Residencial

Instalar um sistema de energia solar em casa é algo cada vez mais comum no Brasil, com crescente interesse nas vantagens econômicas e nos impactos ambientais positivos que uma fonte de energia renovável proporciona.

Agora, a novidade é que os kits solares começam a contar com micro inversores para trabalhar em conjunto com as placas solares. Conheça neste artigo um pouco mais sobre o uso do micro inversor em projetos residenciais.

Até o final de 2022, a procura pela instalação de sistemas de geração de energia solar deve se manter aquecida, com a publicação recente do Marco Legal da Geração Distribuída.

A legislação garante que o consumidor que instalar sistemas fotovoltaicos em casa até janeiro de 2023 continuará tendo isenção da Tarifa de Uso do Sistema de Distribuição (Tusd) nos próximos 23 anos. Com isso, muitos brasileiros têm estudado as diferentes possibilidades de instalação em suas residências.

Para Raphael Pintão, sócio-fundador da NeoSolar, é preciso considerar várias questões na hora de decidir pela melhor opção, como o tamanho do projeto ou quantidade de painéis, por exemplo. Porém, na opinião do executivo, a instalação de micro inversores para otimização do sistema é ideal em projetos residenciais conectados à rede elétrica, uma vez que traz segurança e melhor payback no longo prazo.

Saiba Mais:

“Não há dúvidas de que este é o momento ideal para a instalação de painéis solares em telhados, terrenos, fachadas e em tantos outros lugares que podem ser abastecidos pela fonte de energia que, a cada dia, ganha mais espaço na vida dos brasileiros. Mas é importante fazer a escolha certa de todos os componentes do sistema, a fim de garantir mais eficiência, segurança e durabilidade”, ressalta.

Micro Inversores

A principal função dos inversores é converter a energia produzida pelas placas solares fotovoltaicas de Corrente Contínua (CC) para Corrente Alternada (CA), usada em casa. Assim, o sistema pode injetar energia elétrica apropriada na rede local e trabalhar de forma integrada, fornecendo condições para utilização dos equipamentos elétricos.

Micro Inversor Solar
Micro Inversor no Sistema de Energia Solar

Os sistemas solares de Geração Distribuída (GD) – que geram energia solar para complementar a energia da rede elétrica e possibilitam economia na conta de luz a seus usuários – tradicionalmente contavam com os chamados inversores string, desenvolvidos para gerenciar blocos de painéis ligados em séries (ou “strings”). Nos últimos anos, no entanto, tem se tornado comum a instalação de micro inversores, que cumprem função semelhante à dos inversores string, porém possuem tamanho reduzido e gerenciam as placas individualmente.

“Podemos dizer que o micro inversor faz um tratamento individualizado de energia enquanto o inversor mais convencional faz um tratamento em série ou conjuntos. O problema de operar com grandes conjuntos de painéis é que se houver perda de geração de energia em um deles – por qualquer fator, como sombreamento ou alguma fissura –, todo o sistema será afetado e entregará menos energia. O micro inversor minimiza isso, já que se apenas um painel apresentar problema ele não afetará os outros, uma vez que cada painel é gerenciado individualmente e entrega toda a sua energia para ser utilizada”, explica Raphael Pintão.

Manuseio mais fácil e maior vida útil

Maiores e mais pesados, os inversores strings normalmente possuem potências superiores às dos micro inversores, mas isso também os torna mais difíceis de serem manuseados por uma só pessoa. Outros diferenciais que têm feito os micro inversores ganharem espaço no mercado de energia solar são a durabilidade e a garantia: esses aparelhos costumam ter de 10 a 15 anos de garantia e de 25 a 30 anos de vida útil (similar à do painel solar). Já o inversor tradicional string geralmente possui de 5 a 7 anos de garantia, dependendo do fabricante, e sua vida útil fica entre 10 e 15 anos.

“Não faz sentido nenhum ter uma placa com vida útil de 30 anos, como são os painéis atuais, ligada a um inversor com vida útil de 10 anos. Ou seja, o retorno compensa sua escolha”, pontua Raphael. “A instalação de micro inversores em um sistema solar pode reduzir o custo de manutenção no longo prazo e garantir melhor aproveitamento de energia por décadas”, acrescenta o sócio-fundador da NeoSolar.

Segurança em Sistemas de Energia Solar

Raphael Pintão explica que os micro inversores também são mais seguros, já que operam em baixas tensões de corrente contínua (até 60 V) enquanto os inversores string utilizam tensões mais altas (de até 1.500 V). Essa característica dos string, além de trazer riscos para o instalador que monta o sistema, também aumenta o risco de choques elétricos e/ou incêndios durante o funcionamento do equipamento.

Pelo fato de operar com tensões elevadas em sua entrada, os inversores string também necessitam de uma caixa de proteção externa obrigatória para segurança, chamada string-box. Esse item não é necessário no caso dos micro inversores, pois operam com tesões extremamente baixas e possuem essa proteção embutida no equipamento, que converte a energia contínua em energia alternada diretamente sobre o telhado.

“Com o micro inversor, a energia já sai como Corrente Alternada próxima da própria placa solar, com níveis de tensão baixos e seguros. Além disso, ele dispensa o uso da string-box e necessita de menos proteções que os inversores tradicionais, que são aparelhos mais complexos e trabalham com tensões mais altas”, compara.

MPPTs no Micro Inversor

A maneira como os MPPTs são utilizados é o diferencial que garante a vantagem competitiva do micro inversor sobre o inversor string. A sigla significa Maximum Power Point Tracking (Rastreamento do Ponto de Máxima Potência, em tradução livre) e representa os algoritmos dos inversores que identificam o ponto de máxima potência para o funcionamento dos painéis solares.

Essa tecnologia encontra as melhores condições na relação entre corrente e tensão para que o sistema gere energia de forma mais eficiente. Em um sistema com micro inversores, o gerenciamento de MPPTs se dá de forma individualizada, enquanto os inversores string observam o conjunto das placas.

A melhor distribuição de MPPTs faz com que o micro inversor gere mais energia que a string, especialmente em instalações com sombreamento, mau funcionamento ou perda de rendimento dos painéis”, afirma Raphael.

Diferença de funcionamento entre o inversor String e o Micro Inversor.
Diferenças de um inversor String para o Micro Inversor

Otimização de sistemas de energia solar

O gerenciamento diferenciado realizado por micro inversores garante que o desempenho ruim de um único painel não afete os demais, mesmo em casos de sombreamento do sistema provocado por folhas, galhos ou outros fatores que podem prejudicar o aproveitamento da radiação solar.

“Cada módulo receberá um tratamento diferenciado para otimizar sua energia, e o sombreamento de um deles terá um impacto restrito e muito menor no sistema como um todo. O tratamento individualizado de cada módulo solar, uma das principais características dos micro inversores, facilita bastante o monitoramento e a manutenção dos sistemas. Isso acaba beneficiando a produção total de forma significativa”, salienta o sócio-fundador da NeoSolar.

Para o executivo, outra questão que torna os micro inversores ideais para projetos residenciais é o fato de que podem ser instalados em painéis em diferentes níveis, com inclinações e orientações variadas, o que não é possível com inversores strings.

“Quando trabalhamos com os inversores string, precisamos que as diferentes placas conectadas estejam direcionadas na mesma orientação para produzir a tensão idêntica ou similar. Não podemos, por exemplo, utilizar o mesmo inversor para painéis que estejam voltados a lados opostos ou em inclinação distinta — uma condição que limita muito as possibilidades na hora da instalação”, complementa.

Os micro inversores também permitem que o desempenho dos painéis seja monitorado de forma remota, inclusive por Wi-fi, com mais facilidade e menor custo de instalação. Além disso, é possível ampliar o projeto apenas com a inclusão de mais placas e do número proporcional de novos micro inversores ao sistema.

Microgeração Solar residencial na Bahia

Graças à cooperação entre Brasil Solair e o Fundo Socioambiental Caixa da Caixa Econômica Federal, em Juazeiro (BA), serão feitas instalações para microgeração solar em 1000 residências dentro do programa “Minha Casa Minha Vida” do Governo Federal.

Com uma instalação prevista de 9.146 painéis com a equivalência total instalada de 2,1MW, o projeto visa à instalação dos Inversores Grid-Tie conectados na rede da concessionária Coelba. A mão de obra para colocação dos painéis será dos próprios moradores que foram treinados e capacitados para função como Instaladores de Soluções Fotovoltaicas devido ao Projeto Geração de Renda e Energia.

Como se trata de um Projeto aprovado pelo Fundo Socioambiental da Caixa a energia gerada em excesso será vendida a concessionária podendo gerar uma renda extra de até R$ 110,00 para as famílias.

 

Fontes: www.caixa.gov.br / www.jornaldaenergia.com.br

Energia Solar com incentivos fiscais em São Paulo

Foi assinado hoje um decreto pelo Governador do Estado de São Paulo Geraldo Alckmim, no 1º Seminário internacional de biomassa e eficiência energética no Palácio dos Bandeirantes em São Paulo.

Tal decreto visa à suspensão do lançamento de ICMS (Imposto de Circulação de Mercadoria e Serviço) incidente na importação de bens quando não houver similar nacional. Que é o caso da maioria dos equipamentos para energia solar fotovoltaica.

“Nós precisamos criar condições de competitividade para as energias limpas, energias renováveis. Uma das maneiras de nós estimularmos é por meio dos impostos”, disse o governador.

No mesmo evento foi divulgado um levantamento de potencial solar fotovoltaico do Estado de São Paulo, feito pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), estimado em 12 TWh/ano.

 

Fontes: www.saopaulo.sp.gov.br/ www.folha.uol.com.br