Orçamento
15 May 2020

A pandemia da covid -19 tem levado a uma revisão dos modos de produção, partindo para uma pegada mais sustentável. Segundo o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), a aposta no setor de energia é nas fontes renováveis, sobretudo na energia solar, que representa 95% de todo o recurso renovável do planeta.

 

A energia solar é uma forma de produção de energia mais barata, portanto mais competitiva, e vai ao encontro de um consumo mais consciente alinhado à sustentabilidade tão necessária para o mundo. Por esses fatores, ela pode ajudar na recuperação da economia brasileira, a exemplo do que aconteceu nas crises de 2015 e 2016, conforme aponta dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), quando a fonte cresceu 104% e 125%, respectivamente, ajudando no reaquecimento econômico.

 

A influência das renováveis no aquecimento da atividade econômica é comprovada pelo estudo da Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA), aportando que, a cada dólar investido em energias renováveis e em medidas de eficiência energética, é gerada economia de até 8 dólares que seriam gastos para remediar impactos ambientais e sociais do uso de combustíveis fósseis, como mudanças climáticas e poluição do ar.

Fonte: Portal Solar

28 Apr 2020

Com uma nova estrutura e abordagem de temas relacionados a mobilidade e uso de veículos movidos a eletricidade, o já conhecido Veículo Elétrico Latino-Americano, em sua 16ª edição, passa a se chamar E-MOB – Salão de Mobilidade Elétrica Cidades Inteligentes. Em comunicado divulgado nesta semana, a organização do evento justifica as mudanças em função das transformações que a tecnologia e a sustentabilidade trouxeram à mobilidade.

 

Todavia, a nova estrutura do evento mantém o já conhecido C-MOVE – Congresso da Mobilidade e Veículos Elétricos. Serão dois dias de conteúdo, com mais de 300 congressistas em 20 horas de debates e macrotemas já confirmados como: geração e distribuição de energia; veículos levíssimos, leves e pesados; baterias e componentes; regulamentação; cidades inteligentes; conectividade, entre outros.

 

E-MOB – Salão de Mobilidade Elétrica & Cidades Inteligentes
https://www.salaoemob.com.br/

 

 

15 Apr 2020

A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR) acaba de divulgar que o Brasil ultrapassou 5 gigawatts (GW) de potência operacional em energia solar fotovoltaica em usinas de grande porte e pequenos e médios sistemas instalados em telhados, fachadas e terrenos.

 

O levantamento mostra ainda que a tecnologia é uma das estratégias na recuperação da economia após passar a pandemia do coronavírus, pois tem um grande potencial de geração de empregos, renda e atração de novos investimentos ao País.

 

Além dessa quantidade de potência instalada, a energia solar já gerou cerca de 130 mil empregos acumulados, com aproximadamente 15 mil empresas atuando no mercado e uma quantidade de mais de R$ 26,8 bilhões em novos investimentos privados no País.

 

30 Mar 2020

Veículos elétricos: O que se deve levar em consideração antes de adquirir um

O veículo elétrico atende minhas necessidades?

Antes de tudo, é importante pensar o seu estilo de vida e sua necessidade de uso. Aspectos como espaço ─ a necessidade é diferente dependendo da quantidade de pessoas que serão transportadas ─, se será usado para viagens longas ou viagens curtas aos fins de semana ou apenas no meio urbano para deslocamento ao trabalho, por exemplo. Há também o aspecto do custo benefício, além de conforto e facilidade no uso. 

A autonomia é suficiente?

A distância que o carro consegue percorrer antes que a energia armazenada na bateria acabe e seja necessário realizar uma recarga é um dos principais pontos a serem considerados na compra. Atualmente, a autonomia dos veículos é maior se comparada aos anos anteriores, mesmo assim, é importante conhecer seus hábitos de uso e ter certeza de que a autonomia do modelo seja suficiente para sua necessidade. 

No caso do uso urbano em que a distância percorrida é, geralmente, menor que a autonomia do veículo, o uso do carro elétrico se torna funcional, já que é mais fácil encontrar estabelecimentos como supermercados, shoppings e estacionamentos que possuem pontos de recarga. 

Como recarregar meu carro elétrico?

A primeira opção é o carregamento feito na própria residência, a maioria dos veículos vem com carregador portátil de fábrica incluso, que pode ser recarregado e conectado a uma tomada de três pinos com diâmetro maior (dessas que se usa para correntes elétricas mais fortes), sem adaptações na rede elétrica. Mas estes carregadores têm a desvantagem de serem mais lentos, levando muitas horas para completar a carga e sendo recomendados apenas em casos emergenciais. Por isso, dependendo do uso do veículo, é necessário investir em outras soluções, como os carregadores rápidos, que são mais robustos e possuem proteções que evitam danos na rede elétrica.

Já para os moradores de condomínios, há a possibilidade de ter uma estação compartilhada, um espaço exclusivamente para recarregar o carro, no qual a cobrança é feita diretamente para o proprietário. De acordo com o sócio-diretor da NeoCharge, os condomínios mais antigos estão buscando se adaptar à tecnologia e os novos empreendimentos já incluem pontos para recarga de veículo elétrico desde o projeto.

 

 

15 Mar 2020

A cidade de Vitória acaba de ganhar uma estação de recarga para veículos elétricos. O carregador, instalado pela NeoCharge, empresa pioneira em infraestrutura para veículos elétricos, fica no estacionamento da Leroy Merlin, que será inaugurada este mês, e poderá ser utilizado sem custo pelos clientes do home center.

 

A estação de recarga é uma iniciativa da Leroy Merlin  que visa influenciar construções e empreendimentos voltados para o desenvolvimento responsável do planeta.

 

A solução da NeoCharge para carregamento de veículos híbridos e elétricos em breve chegará também às prateleiras da Leroy Merlin e poderá ser adquirida por todos.

28 Feb 2020

Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro confirmou que, em março, pretende ir aos Estados Unidos para, entre outras coisas, discutir a possibilidade de instalação de uma fábrica da montadora norte-americana de veículos elétricos Tesla, informação que havia sido adiantada pelo seu filho Eduardo, deputado federal, no dia anterior.

 

A ofensiva do governo brasileiro no setor ocorre meses depois de a indústria automobilística nacional sofrer um significativo trauma, provocado pelo fechamento de unidades da também americana Ford em São Bernardo do Campo, São Paulo. Nesse contexto, a iniciativa do Planalto levanta questionamentos sobre a viabilidade de tal projeto. Afinal, o cenário econômico brasileiro é favorável à instalação de uma montadora de carros elétricos da Tesla no país?

 

De acordo com o engenheiro especialista em Eletrônica e Telecomunicações Antônio Jorge Martins, coordenador do curso de MBA em Gestão Estratégica de Empresas da Cadeia Automotiva da Fundação Getúlio Vargas, é possível observar, hoje, um interesse muito grande do Brasil em atrair empresas de alta tecnologia.

25 Feb 2020

A paisagem dominada principalmente por campos verdes e plantações de cana-de-açúcar à beira de uma rodovia em Porto Feliz, a cerca de 150 quilômetros do centro de São Paulo, é interrompida repentinamente em certo ponto por um aglomerado de placas azuis de silício voltadas para o sol.

 

Funciona ali uma pequena usina de energia solar cuja produção é dividida por cerca de 40 clientes, que vão desde residências até estabelecimentos comerciais como padarias e academias –um modelo de negócios conhecido como geração distribuída, que atrai cada vez mais empreendedores de todos os portes no Brasil e já movimenta bilhões de reais por ano.

 

A instalação desses sistemas de energia renovável, em terrenos ou telhados de casas e edifícios, deve atrair investimentos de 16 bilhões de reais neste ano, quase três vezes mais que em 2019, movimentando um mercado fortemente aquecido que envolve desde importações de equipamentos da China e fábricas locais até grandes elétricas e fundos, além de um amplo universo de empresas menores.

 

Somente neste ano, as novas instalações da tecnologia, conhecida pela sigla “GD”, devem agregar cerca de 3,4 gigawatts em capacidade no Brasil, somando ao fim de 2020 cerca de 5,4 GW, segundo a Associação Brasileira de Energia Solar (Absolar), o que fará dela a fonte com maior crescimento no país no ano, à frente das tradicionais hidrelétricas e dos parques eólicos.

 

Consumidores, de outro lado, são atraídos não somente pelo retorno oferecido, mas pelo conceito da energia renovável, que tem crescido a taxas muito mais altas no exterior. Com um gasto de 12 mil a 20 mil reais, é possível ter um sistema residencial de geração distribuída que pode durar um quarto de século, enquanto o investimento se paga em aproximadamente quatro anos.

 

O potencial do Brasil, um país de dimensões continentais e clima amplamente favorável à geração solar, atrai assim a atenção de gigantes globais.

 

 

Fonte: https://glo.bo/2vGHjLF

25 Jan 2020

Tomar um cuidado especial na hora da instalação da sua placa solar também diz respeito a posição segundo o sol no seu telhado! Apesar de parecer bobagem, saber o ângulo correto é importantíssimo para a eficiência do painel e para a capacidade de geração de energia dele. Sendo assim, a melhor posição diante do sol é o norte, tendo uma perda de 3% a 8%. Já no caso de um posicionamento direcionado para o leste ou o oeste a perda varia entre 12% a 20%, e para o sul as perdas são muito maiores. 

Assim, preste atenção em quem você confia para fazer a instalação das suas placas, confie em quem entende, confie na Neosolar!

 

10 Jan 2020

Existem no mercado seis tipos de painéis fotovoltaicos, porém separei apenas três para especificar e contar um pouco sobre eles:

 

  1. Painel solar fotovoltaico de silício monocristalino

A maioria dos painéis solares são de alguma variação de silício, no caso do monocristalino ele é os mais antigo e com uma eficiência média de 15% à 22% sendo o melhor em comparação aos demais.

 

  1. Painel solar fotovoltaico de silício policristalino

Nesse caso, esses painéis têm vida útil bem maior variando entre 25 à 30 anos, além de ter uma garantia de 25 anos. Além disso, o preço de mercado do painel solar de silício policristalino é um pouco mais vantajoso do que o de monocristalino.

 

  1. Painéis solares de filme fino

Esses painéis se aproximam muito em eficiência em comparação aos de monocristalino, apesar de não chegarem, o de filme fino chegam a 13%. Fora isso, seu visual quase completamente preto deixa as placas mais bonitas tendo um aspecto vantajoso aos olhos,

10 Dec 2019

Mais de 160 pontos de ônibus na cidade de Boa Vista em Roraima já possuem abastecimento via energia solar. A ideia inicial do projeto era instalar os painéis nos próprios abrigos, porém por conta dos intensos furtos a proposta teve que ser alterada, passando a ficar em um lugar único, abastecendo todos os pontos.

 

O principal objetivo do governo com o projeto é diminuir os impactos ambientais e principalmente minimizar os gastos públicos passando a economizar até R$ 6 mil mensais com a iniciativa, legal não?

 

займ на карту

Últimos comentários