Governo do Piauí aposta na exportação de fontes alternativas de energia

Na última terça-feira, 10 de março, o secretário de Mineração, Petróleo e Energia Renováveis do Piauí, Luís Coelho, declarou que o Estado tem capacidade de exportar energia alternativa.

 

Entre as principais apostas do governo piauiense está a produção de energia eólica e solar, e para isso já foram investidos R$ 150 milhões na construção da subestação Serra de Santo Inácio, no município de Curral Novo. A obra tem previsão de conclusão para junho de 2015. Assim que estiver pronta, essa será a maior subestação de energia eólica do país.

 

“A questão da energia eólica no Estado é uma realidade. Nós temos lá na região do Araripe 10 municípios que estão construindo seus parques. Isso vai produzir em torno de 1.300 KW de energia, que é seis vezes maior que o produzido em Boa Esperança. De repente, o governo se vê numa situação de crise, e o Piauí pode muito bem ser o primeiro a sair dessa crise pela produção de energia”, declarou o secretário.

 

Luís Coelho acredita que a produção de energia solar também é possível, já que o Estado possui condições climáticas favoráveis. “O que era o grande gargalo da energia solar? O preço das placas. Hoje já se consegue trabalhar com preços mais acessíveis no mercado. Nós vamos ter as questões das fazendas solares e temos aquele caso das empresas que vão trabalhar com CNPJ. Por exemplo, um posto de gasolina, um hospital, e ali colocar um receptor de energia solar para produzir durante o dia e usar à noite”, finalizou.

 

O Brasil já está vivendo uma crise energética devido ao baixo volume de chuvas. O governo do Piauí acredita que, com essas medidas, conseguirá diminuir o impacto em todo o país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.