Sustentabilidade e o futuro

 

Procura ser uma empresa mais sustentável? Daremos aqui algumas dicas de como podemos mudar nossas atitudes no dia-a-dia e contribuir para um mundo mais limpo hoje e no futuro.

 

Com certeza a começar pelas influências e quem você se relaciona, tanto como pessoa quanto como instituição são um grande passo para mudanças. Quem você escolhe para ser seu fornecedor, por exemplo. Empresas que trabalham com garantias de preservação com o meio ambiente e que tem padrões altos de qualidades são sempre as melhores. Acredite, uma boa reputação vale mais do que o dinheiro investido.

 

Outro ótimo passo é pensar na infraestrutura, usar sensores de presença, incentivar a reciclagem, usar materiais reciclados, colocar plantas vivas no ambiente de trabalho e dentre outras atitudes é uma ótima forma de mostrar como a empresa se relaciona com iniciativas de preservação. Além de ser uma atitude orgânica, ajuda os funcionários a entenderem também seu papel na sustentabilidade junto a empresa.

 

Existem muitas outras maneiras de começar e ajustar, mas pensar no básico é essencial, ser sustentável não só pensar no meio ambiente, é pensar no nosso comportamento e principalmente ser responsável com as gerações futuras.

BOMBEAMENTO SOLAR DE ÁGUA: UM CASE DE SUCESSO

Que a energia solar fotovoltaica é um sistema limpo e renovável que converte energia do sol em eletricidade, a maioria de nós já sabe. Mas você sabia que ela também é uma grande aliada no bombeamento de água?

Alguns locais mais remotos têm acesso limitado à água e, por isso, têm a necessidade de usar bombas elétricas para extração a partir de poços artesianos. Mas o problema é que a eletricidade nem sempre está disponível nestas áreas, por isso, as bombas são movidas a geradores a diesel, que além de serem poluentes, exigem uma manutenção constante.

 

Era isso o que acontecia na propriedade de um dos nossos clientes, o pecuarista Mauricio Teixeira, em Tocantins. Seus funcionários tinham de ficar verificando constantemente se o bombeamento estava realmente sendo feito. Se algum ajuste fosse necessário, o que não era difícil de acontecer, consequentemente o gado ficava sem água por um período, o que para o negócio dele, que é o gado de engorda, era é extremamente ruim.

 

Para solucionar estes problemas, o cliente nos procurou par projetar um sistema solar fotovoltaico de bombeamento de água, que apesar de ser uma aplicação pouco conhecida, o é a mais acessível entre as aplicações da energia solar fotovoltaica. Seus diferenciais são um melhor custo benefício, maior eficiência energética, baixo investimento inicial e menor tempo de retorno de investimento.

 

Nossa equipe sempre fez um estudo de caso completo, verificando as peculiaridades e necessidades de cada propriedade. No caso deste cliente, que tem 600 cabeças de gado nesta área, a necessidade era a questão do bombeamento da água para dessedentação destes animais e não um projeto de energia para abastecimento da residência rural – que é uma aplicação mais conhecida que também fazemos. Neste caso, o cálculo feito por nossa equipe foi outro, mais específico, mas com o mesmo objetivo de ser uma solução tão rentável quanto os sistemas conectados à rede.

 

O sistema da fazenda conta com oito placas, sendo que sete são usadas exclusivamente para o bombeamento solar de água e uma para o circuito de câmeras do local. Com uma potência total de 1050Wp, são bombeados 26 mil litros de água por dia. A água é bombeada para o reservatório e depois distribuída para os bebedouros. Graças ao bombeamento solar de água, o gado não precisa mais se movimentar ou aguardar que imprevistos sejam eliminados.

 

Quer saber mais sobre bombeamento de água com energia solar? Acesse nosso site: https://www.neosolar.com.br/energia-solar-off-grid/bombas-de-agua-solares

SÉRIE: SAIBA MAIS SOBRE OS PROJETOS DESENVOLVIDOS PELA NEOSOLAR III

Estamos no final da série sobre o projeto de microgeração distribuída de Ribeirão Preto, desenvolvido pela Neosolar. Se você perdeu os dois últimos posts, pode acessá-los aqui I II. Hoje vamos falar sobre a parte mais técnica (quantidade de placas, inversores etc.) e sobre quanto precisou ser investido para que esse projeto fosse realizado.

 

Para suprir a demanda energética do local e de outras propriedades do mesmo dono, foram usadas 180 placas fotovoltaicas de 140 Wp cada, totalizando 25,2 kWp, e seis inversores de 3,8 kW cada. Não é à toa que esse foi considerado o maior o projeto de microgeração distribuída para auto-consumo do Estado de São Paulo.

 

NeosolarEnergia_GTRP (40)

 

O investimento total girou em torno de R$ 220 mil, para uma capacidade de produção de cerca de 3.300 kWh por mês. Com isso, o tempo para o retorno do valor investido ficou estimado em sete anos. O custo do projeto é sempre proporcional ao perfil de consumo mensal. Pode-se considerar um investimento de retorno interessante, se for levada em conta a redução expressiva no valor da conta de luz, além da valorização do imóvel e a elevada vida útil do sistema.

 

Em breve voltaremos com mais posts sobre cases da Neosolar Energia.  Em nosso site há um espaço dedicado aos nossos projetos e também aos de credenciados Neosolar-PRO. Confira no link.

 

 

SÉRIE: SAIBA MAIS SOBRE OS PROJETOS DESENVOLVIDOS PELA NEOSOLAR II

Como ficou combinado, continuaremos falando sobre o projeto de microgeração distribuída para auto-consumo de Ribeirão Preto. Se você chegou agora, pode ler o primeiro post da série aqui.

 

Além de ter sido, à época, o maior projeto em capacidade instalada do Estado de São Paulo, a residência foi a primeira a usufruir da resolução normativa 482/2012 (revisada no final do mês passado. Saiba mais neste post), que regulamentou que qualquer residência, comércio ou indústria poderia instalar um sistema de micro ou minigeração distribuída para o auto-consumo e obter créditos na fatura, devolvendo à rede a energia excedente produzida. Um marco importantíssimo para o desenvolvimento energético do país.

 

O projeto de Ribeirão Preto serviu também como referência para a CPFL Paulista (concessionária da região, responsável pela aprovação do projeto), que o tomou como base para outros que estavam em andamento nas regiões sob sua administração.

 

Confira o vídeo em nosso canal no Youtube:

 

Instalação Grid-Tie – Neosolar

 

 

 

 

Energia solar no ensino médio

O estado da Paraíba da um grande passo em relação à, conscientização e iniciação em pesquisas sobre energia solar para estudantes do ensino médio em Escola estadual do município de Cabaceiras/PB.

 

Em parceria com o Departamento de Engenharia Agrícola da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), a escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Alcides Bezerra dá início ao projeto chamado “Interação de estudantes do ensino médio com os princípios da engenharia para o uso da energia solar no semi-árido”.

 

O projeto visa trabalhar com alunos bolsistas do ensino médio, no qual os participantes no prazo de um ano ou mais, receberão orientações semanais sobre energia solar e colocarão em prática seu aprendizado.

 

Os alunos que já iniciaram no projeto, irão a princípio construir fogões solares, refletores solares, entre outras coisas com geração de energia solar. O objetivo é criar um link entre a Universidade e o Ensino médio público, estimulando esses alunos em pesquisas científicas. Pesquisa essa encabeçada pelo grande potencial solar na região da Paraíba e conscientizando esses jovens alunos à importância da energia renovável.

 

Fonte:http://www.paraiba.pb.gov.br